Login

Chiado e Estrela são de longe os bairros mais procurados e mais caros de Lisboa.

Chiado e Estrela são de longe os bairros mais procurados e mais caros de Lisboa.

Chiado e Estrela são de longe os bairros mais procurados e mais caros de Lisboa.

Chiado, Santo António, Misericórdia e Estrela são os bairros mais caros para comprar habitação na cidade de Lisboa. Aqui os valores médios já rondam os 900.000 euros.

A tipologia mais procurada junto das mediadoras têm sido os T2 e os imóveis com espaços verdes envolventes, com preferência a elevadores, garagem e fácil acesso a transportes públicos ou mesmo a proximidade de zonas verdes como jardins na cidade da luz.

Segundo os dados do casafari e de outros sites, o bairro mais caro é o Chiado com um valor por m2 de cerca de 10.000 euros. O Chiado é o bairro neste momento mais procurado entre todos os bairros da capital. Depois segue o bairro de Santo António, onde o preço por m2 roda os 5.395 euros seguido pela Misericórdia com 5.058 euros m2 e a Estrela com o preço médio de 4.347 euros o m2.

A razão pela evolução do preço nestes bairros, está diretamente ligada a escassa oferta de imóveis nestes bairros. E dos novos projetos estarem a espera das licenças, causado por excessivos atrasos burocráticos da camara municipal de lisboa e da função publica que nesta matéria deixa muito a desejar.

Por isso o preço é ditado sobretudo pela escassa oferta, mesmo que a procura é maior noutras freguesias. É o caso das Avenidas Novas, Belém e Parque das Nações que se juntam à Estrela, Bairro Alto, Graça, Alfama e Príncipe Real na lista de bairros com maior procura na capital.

A média de preço por bairo:

  1. Belém ronda os 4.000 euros m2,
  2. Parque das Nações 4.300 euros m2
  3. Estrela 4.300 euros m2
  4. Avenidas Novas 4.700 euros m2
  5. Chiado 10.000 euros m2
  6. Principe Real 10.000 euros m2

O que nos traz o Futuro?

No nosso entender, e pela nossa monitorização do mercado estamos a prever que cada vez mais o comprador vai ser mais jovem e o produto que se procura de maior qualidade e maior preço.

Esta tendência não é um fenómeno nacional ou da nossa capital, é algo que se está a verificar cada vez mais a nível internacional, tanto nos grandes centros urbanos como em especial nas várias capitais do continente europeu

A proximidade do trabalho, a oferta de diversão e as infraestruturas digitais e educacionais são o motor deste movimento, como também a procura de qualidade de vida cada vez mais cedo e menos ditada pelo dia da reforma. Casas com zonas verdes envolventes, jardins, varandas ou sala de escritório são agora o mais importante para os compradores.

Galeria